Social Icons

Featured Posts

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Teatro




A OBRA DE OZANAM

(A história se passa no século XVIII, na França. Os personagens são Antônio Frederico de Ozanam, Madame Récamier e os companheiros – Júlio Devaux, Augusto Le Taillandier, Paulo Lamache, Francisco Lallier, Bailly e Clavé. Uma senhora, uma criança. Alguns mendigos.)

CENA I
(O cenário é um bar. Mesas, cadeiras. Vasilhas: bandeija, café, bule e xícaras. Ozanam e seus colegas iniciam a cena entrando na taberna de Madame Récamier).
NARRADOR: Era o ano de 1838, um jovem francês chamado Antônio Frederico Ozanam mudou-se para Paris para estudar Direito na Universidade de Sorbonne. Três anos depois, ele desenvolve uma obra que irá contagiar todo o mundo.

MADAME RÉCAMIER: Bom dia, rapazes!
GRUPO: Bom dia, Madame Récamier!
MADAME RÉCAMIER: E aí, Ozanam, está gostando de Paris?
OZANAM: Sim. A impressão é boa! Belos monumentos.
MADAME RÉCAMIER: Vai um cafezinho aí, rapazes?
GRUPO: Sim.
DEVÔ: Ozanam, você precisa dar uma volta pela cidade para conhecer melhor a nossa gente.
TAIANDIÊ: Paris não é só glamur!
OZANAM: Percebo que por trás destes monumentos há uma frieza de fé!
DEVÔ: É! São outros tempos. Os ares da modernidade corromperam os bons costumes!

CENA II
(O cenário é a rua. Ozanam e seus companheiros caminham pelas ruas de Paris).
TAIANDIÊ: Eis a bela Paris!
(Vem caminhando uma senhora e uma criança maltrapilhas. Com roupas surradas. A senhora está carregando numa bolsa rústica apenas um pão e um frasco de leite. A criança chora. Ozanam corre para junto da senhora).
OZANAM: Minha senhora! Por que a criança está chorando?
SENHORA: É fome, rapaz!
OZANAM: Como assim? Nesta cidade tão rica, bela?!
SENHORA: O senhor pode conhecer onde moro!
OZANAM: Colegas, tenho de ver onde esta senhora mora.
DEVÔ: Vou com você!
TAIANDIÊ: Nós temos de voltar. Temos um debate para assistir na faculdade!
SENHORA: É por aqui, meus senhores!

CENA III
(A senhora, a criança, Ozanam e Devô entram numa rua estreita. Há mendigos sentados nas calçadas. Um cenário de pobreza. Lixo espalhado).
SENHORA: É aqui que eu e muitas famílias moramos.
OZANAM: Mas onde estão os homens de posses desta cidade?
DEVÔ: Ozanam, a caridade anda esquecida entre os franceses.
OZANAM: Alguém precisa fazer alguma coisa. Todos nós somos irmãos.
(Ozanam distribui algumas moedas com os mendigos. Todos ficam sorridentes. E retornam Ozanam e Devô para a taberna de Madame Récamier. Conversam à mesa).
DEVÔ: Ozanam, notei que você ficou impressionado com a situação daqueles pobres.
OZANAM: Sim, fiquei muito. Como podemos ser cristãos e não ajudarmos o próximo.
DEVÔ: Desde o grande São Vicente de Paulo que não vemos a Igreja preocupada com os pobres nesta terra!
OZANAM: Tive uma idéia! Que tal criarmos uma “conferência da caridade”? Precisamos fazer alguma coisa por esses pobres. Seguir Jesus sem praticar a caridade não faz sentido!
DEVÔ: Grande idéia! Vamos conversar com os colegas.

CENA IV
(Neste momento chegam os outros companheiros. Devô se dirige a eles).
DEVÔ: Colegas, Ozanam teve uma ótima idéia!
TAIANDIÊ: Qual é?
OZANAM: Vamos criar uma “conferência da caridade” com a intenção de ajudar os pobres e necessitados.
GRUPO: Estamos com você.
LAMACHE: Agora precisamos de um patrono! Quem seria?
OZANAM: Ninguém menos do que São Vicente de Paulo.
DEVÔ: Isso mesmo!
FRANCISCO: E quem foi São Vicente de Paulo?
OZANAM: O pai dos pobres? Foi um padre francês que nasceu em 1581 e morreu em 1660. Ele fundou as confrarias da caridade. A sua vida foi dedicada aos pobres!
FRANCISCO: A escolha foi perfeita! Então, chamaremos nosso trabalho de “Conferência da Caridade” da Sociedade de São Vicente de Paulo.
OZANAM: Amanhã mesmo vamos realizar a primeira reunião e não podemos deixar de ajudar aquelas famílias que vimos lá na rua.
DEVÔ: Isso! Viva São Vicente!
GRUPO: Viva!

NARRADOR: Assim surgiu a primeira conferência vicentina. Frederico Ozanam faleceu em 1853, mas sua obra se espalhou por todo o mundo. A sua inspiração foi o grande São Vicente de Paulo, o “pai dos pobres”!




segunda-feira, 19 de junho de 2017

Os sentidos da palavra Revelação



REVELAÇÃO NA BÍBLIA

Há um sentido próprio de revelar, mostrar e dois sentidos especiais: Um de revelação de Jesus Cristo (sentido geral) ou particular (mostrar alguma coisa sob a ação do Espírito Santo). O Dicionário Grego de THAYER apresenta os seguintes empregos da palavra:[1]

1.      Em sentido próprio, revelado, exposto, nu (1 Samuel 20, 30).
2.      Tropicamente, em N. T. e linguagem eclesiástica (ver final), 
a. Uma revelação da verdade, da instrução, referente às coisas divinas antes desconhecidas - especialmente aquelas relacionadas à salvação cristã - dadas à alma pelo próprio Deus, ou pelo Cristo ascendido, especialmente através da operação do Espírito Santo (1 Coríntios 2,10) , E assim é distinto de outros métodos de instrução; Portanto, κατά ποκάλυψιν γνωρίζεσθαι, Efésios 3,3. Πνεμα ποκαλύψεως, um espírito recebido de Deus revelando o quê e quão ótimos são os benefícios da salvação, Efésios 1,17, cf. Efésios 1,18. Com o genitivo do objeto, το μυστηρίου, Romanos 16,25. Com o genitivo do subjuntivo, κυρίου, ησο Χριστο, 2 Coríntios 12: 1 (revelações por êxtases e visões, (2 Coríntios 12,7)); Gálatas 1,12; Apocalipse 1,1 (revelação de coisas futuras relacionadas com a consumação do reino divino); Κατ 'ποκάλυψιν, Gálatas 2: 2; Λαλήσω ... ν ποκαλύψει, para falar sobre o terreno de (outros, na forma de) uma revelação, agradavelmente uma revelação recebida, 1 Coríntios 14, 6; Equivalente a ποκεκαλυμμενον, na frase ποκάλυψιν χειν, 1 Coríntios 14,26.
3.      B. Equivalente a τό ποκαλύπτεσθαι como usado em eventos pelos quais coisas ou estados ou pessoas até agora retirados da vista são tornados visíveis a todos, manifestação, aparência, cf. ποκαλύπτω, 2, d. E e .: φς ες ποκάλυψιν θνν, uma luz para aparecer aos gentios (outros tornam "uma luz para uma revelação (da verdade divina) para os gentios", e assim referem o uso a um. Acima), Lucas 2,32 ; ποκαλύψεως δικαιοκρισίας Θεο, Romans 2,5; Τν υἱῶν το Θεο, o evento em que aparecerá quem e o que os filhos de Deus são, pela glória recebida de Deus no último dia, Romanos 8,19; Τς δόξης το Χριστο, da glória vestida com a qual ele retornará do céu, 1 Pedro 4,13; Deste retorno, a frase é usada, ποκαλύψει το κυρίου ησο: 2 Tessalonissenses 1,7; 1 Coríntios 1, 7; 1 Pedro 1, 7, 13. (Entre os escritos gregos, Plutarco usa a palavra uma vez, Cat. Maj. C. 20, da desnudação do corpo (também em Paulo. Aemil. 14 a. δάτων; em Quomodo adul. Ab Amic. 32 α. μαρτίας, ver Sir. 11:27 Senhor 22:22 etc. Veja Trench, § xciv. E referências sob a palavra ποκαλύπτω, no final).)

REVELAÇÃO PARTICULAR: Sentido mais próximo ao usado hoje

CITAÇÃO
TEXTO
1 Cor 14, 16:

E agora, irmãos, se eu for ter convosco falando em línguas, que vos aproveitaria, se não vos falasse ou por meio da revelação, ou da ciência, ou da profecia, ou da doutrina? (ν ποκαλύψει)
2 Cor 14, 30:

Se vier uma revelação a alguém que está sentado, cale-se o primeiro. (ποκαλυφθ).
Gal 2,2:
E subi por uma revelação, e lhes expus o evangelho, que prego entre os gentios, e particularmente aos que estavam em estima; para que de maneira alguma não corresse ou não tivesse corrido em vão.
Ef 1, 17:
Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação;
Ef 3,3:
Como me foi este mistério manifestado pela revelação, como antes um pouco vos escrevi;
2 Ts 2,2:
não vos deixeis facilmente perturbar o espírito e alarmar-vos, nem por alguma pretensa revelação nem por palavra ou carta tidas como procedentes de nós e que vos afirmassem estar iminente o dia do Senhor.

Citações de Revelação na Bíblia: II Samuel - 7:17, II Samuel - 7:27, Provérbios - 29:18, Isaías - 8:16, Isaías - 29:11, Daniel - 2:27, Daniel - 9:23, Daniel - 10:1, Mateus - 2:12, Mateus - 2:22, Lucas - 2:32, Romanos - 2:5, Romanos - 16:25, Apocalipse - 1:1,